Cães da rainha Elizabeth II têm quarto, refeições especiais e túmulo próprio

Os bichinhos da raça Corgi são considerados parte da família real e têm direito a desfrutar de tudo do bom e do melhor

Elizabeth II e Susan, primeira cadela que teve
Elizabeth II e Susan, primeira cadela que teve

A aniversariante deste mês, a rainha Elizabeth II do Reino Unido, que fará 95 anos no próximo dia 21, não é a única a viver com mordomias reais no Palácio de Buckingham, na Inglaterra.  Apaixonada pelos cães da raça corgi desde a infância, seus cachorros são tratados como parte da família e recebem todo o cuidado e regalias da realeza.

Os cachorros da monarca são tão especiais que já chegaram a inspirar uma animação de cinema, The Queen’s Corgi . A cadelinha Susan, da raça Welsh Corgi Pemproke, foi dada de presente à rainha pelo pai dela quando ainda era princesa, assim que completou 18 anos. Já naquela época, os cães recebiam atenção e carinho de realeza. Susan, inclusive, foi com a rainha para a lua de mel dela com o príncipe Philip, em 1947.

Confira alguns tratamentos diferenciados que os cães do palácio recebem:

1 – Passeios diários
Todo cãozinho de estimação adoraria poder passear e brincar todos os dias, mas nem sempre isso é possível, principalmente quando o tutor tem uma rotina de trabalho, fora de casa, muito agitada. Os cães da rainha, ao contrário, podem ter isso, sim. Muitas vezes até dois passeios no mesmo dia. De manhã cedo, logo depois que acordam, um funcionário da família real os leva para caminhar. Após o almoço, a rainha passeia pessoalmente com os seus doguinhos pelos jardins do Palácio de Buckingham.Rainha Elizabeth II passeando com seus cachorros, em 1994

 

2 – Refeições gourmet assinadas por chef
Por falar em almoço, as refeições dos cães reais não são com rações comuns ou carne enlatada para pets. As comidas desses pets são preparadas por um chef especializado e servidas pontualmente às 17h, todos os dias. Eles podem jantar bife ou peito de frango e o cardápio sempre é feito com ingredientes frescos. A comida ainda é servida em bandeja de prata por um mordomo.

3 – Quarto próprio
Como se já não bastasse todo esse luxo, os cães da rainha também não dormem em qualquer lugar, casinhas de madeira apertadas ou caminhas simples no chão. Eles possuem um quarto do Palácio, com todo o conforto que se pode imaginar, só para eles. Lá, eles dormem em camas e seus lençóis são trocados todos os dias.

4 – Liberdade e independência
E não é apenas o quarto próprio que mostra como eles são independentes. Ninguém tem permissão para dar ordens ou levantar a voz para os cães da rainha, ninguém mesmo, nem outros membros da família. No livro “Not in front of the corgis” [Não na frente dos Corgis], de Brian Hoey, o autor fala sobre essa proibição das pessoas darem broncas ou ordens aos cachorros de Elizabeth. Eles são livres para fazer o que quiserem e não podem receber reclamações nem mesmo quando fazem algo de errado.A rainha atualmente cria dois corgis

Reprodução/Instagram

A rainha atualmente cria dois corgis

5 – Viagem só na primeira-classe
A rainha viaja muito e, como não gosta de ficar muito tempo longe de seus cães, sempre os leva com ela. Susan, a sua primeira corgi, foi até para a sua lua de mel. Da mesma forma que ocorreu com ela, todos os outros cães da rainha são muito bem tratados nas viagens, voam na primeira classe, junto da rainha, e carregados no colo para descerem do avião, além de serem conduzidos por motoristas próprios.

6 – Presentes de Natal
Todos os anos, a rainha Elizabeth II faz questão de presentear os seus cãezinhos no Natal, mimando-os ainda mais com brinquedos novos ou guloseimas específicas para cachorros.

7 – Descanso eterno em berço esplêndido
Esses cãezinhos não poderiam ter uma vida com tanto luxo e morrer de qualquer forma. Ao falecerem, os pets da rainha são enterrados em túmulos reais, com lápides especiais, encomendadas para cada um deles, no mesmo cemitério, em Sandringham. Na lápide de Susan, por exemplo, está escrito: “Por quase 15 anos, a companheira fiel da Rainha”.

8 – Nada de piadas sobre o tratamento especial dos cães da rainha
Ai de quem fizer piadinhas ou brincadeiras de mal gosto sobre os cães da rainha e o tratamento especial que eles recebem: Elizabeth não tolera! De acordo com o livro “Amazing & Extraordinary Facts: Royal Family Life”, em 1999, um funcionário da realeza foi demitido após fazer uma brincadeira, colocando uísque e gin na comida dos cães da rainha.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Proteção contra força bruta. * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.