Campanha Contra Influenza inicia nesta quarta para três grupos prioritários

Campanha Contra Influenza inicia nesta quarta para três grupos prioritários

Vacina será dada até 31 de maio; em Prudente, quase 49 mil pessoas devem receber a dose

Tem início em âmbito nacional nesta quarta-feira (10/04), a 21ª Campanha de Vacinação Contra a Influenza. A diferença neste ano, é que do dia inicial a 19 de abril a iniciativa é destinada exclusivamente às crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes e puérperas, ou seja, mulheres que tiveram bebês até 45 dias. Isso por normalmente serem os grupos que não atingem a meta preconizada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que são 90% para cada. Além da dose contra gripe, para esses grupos, haverá atualização da caderneta com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação.

Já a partir do dia 22 de abril, os demais grupos começam a ser vacinados também, sendo eles: idosos com 60 anos ou mais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras em condições clínicas especiais.

Em Presidente Prudente, a estimativa da Prefeitura é que 54.313 munícipes integrem os grupos. Do total, a meta é vacinar 90%, ou seja, 48.881. Segundo informações da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a campanha visa reduzir as complicações, as internações e a mortalidade, ambas decorrentes das infecções, bem como atualizar a situação vacinal de crianças, gestantes e puérperas. No município, 28 salas de vacinação em ESFs (Estratégias de Saúde da Família) e UBSs (Unidades Básicas de Saúde) estarão abertas, sempre das 7h30 às 17h, com exceção de sábados e domingos, quando não abrem.

De acordo com a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), além da vacinação, a população deve adotar medidas de prevenção para evitar a infecção por gripe: “como lavar sempre as mãos; evitar locais com aglomeração de pessoas que facilitam a transmissão de doenças respiratórias; cobrir a boca com o braço ao tossir ou espirrar; utilizar álcool gel nas mãos; e, caso julgue necessário, utilizar máscara de proteção”.

Ainda segundo o órgão, a complicação da influenza, que leva a morte e a hospitalização com mais frequência é a pneumonia, que pode ser causada pelo próprio vírus ou por infecção bacteriana. “A maioria das mortes em população não vacinada ocorre em idosos. As maiores taxas de hospitalizações são em crianças menores de cinco anos. Em relação ao risco de complicações, é muito alto em gestantes, principalmente no terceiro trimestre de gestação”, explana Elaine Bertacco, supervisora da VEM.

Fonte: Secretaria de Comunicação

PUBLICIDADE

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Proteção contra força bruta. * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.